Resenha | Primeiras impressões de Rebirth Batman e Detective Comics no Brasil

Em maio de 2016 a DC resolveu apresentar a sua série pós Novos 52. No Brasil, (com aquele atraso habitual), a Panini lançou o Renascimento em Março de 2017. Quando anunciado, era esperada uma continuação ou um reboot. Os editores não fizeram nenhum dos dois. Vamos falar especificamente sobre a revista Batman e a Detective Comics. Elas são o carro-chefe do Homem-Morcego. E se quer saber, até agora agrada. Aqui vai um pequeno incentivo pra te fazer ler.

Este slideshow necessita de JavaScript.

As boas decisões da DC começaram com a escolha de roteiristas, escritores e desenhistas. Batman e a Detective Comics tem como roteiristas Tom King e James Tynion IV. Também o artista David Finch, ganhador do prêmio Eisner 2017 (com Tom King, pela Batman Annual #1) e concept design do filme Watchmen. Além do renomado artista paraense Eddy Barrows (Eduardo Barros), que já é conhecido no meio por desenhar Superman, Jovens Titãs, Esquadrão Suicida e outras. Essas escolhas são essenciais principalmente quando há o rumo de personagens consolidados. Não estamos falando de novas revistas que ainda desenvolverão identidade como Jovens Titãs e Arlequina. Detective Comics existe desde Março de 1937. E o Batman desde junho de 1940. Então manter a sequência depois de tanto tempo não é algo banal. Mas, aparentemente, a DC deixou em boas mãos as revistas.

Sobre a forma de escrita das histórias é importante destacar que a união entre arte, argumento e roteiro deve ser perfeita. E em Batman e Detective Comics temos uma boa união disso. Interessante notar que numa média geral, a maioria das histórias tem histórias fora de requadro. Acaba se tornando uma característica marcante da família do Batman. Um excelente exemplo de como o uso dessa ideia é sábio, está na primeira página da Detective Comics #3. Um copo na mesa, dentro do copo um flashback da Batgirl. O uso desse recurso é bom, mas cansativo quando usado em excesso. Por que a leitura fica confusa e te faz perder a linha de raciocínio. Mas no geral, foi feito um bom uso da ideia.

MELHORES MOMENTOS DOS ARCOS (ALERTA DE SPOILER)

Esse arco cairia bem com a Quinta Sinfonia em C Menor de Beethoven. Começa dramática numa luta com o Homem-Calendário. Torna-se doce no choro de Batman. Rápida, frenética e contundente e em seu final dramático quando Asa Noturna e Gotham Girl se transformam em monstros gigantescos.

Alfred usando o traje do Batman – Se provando mais uma vez, muito além de um mordomo. Inclusive esse uso do traje e o famoso bordão “Eu sou o Batman”, é o que salva o dia.

Participação da Liga da Justiça – A Liga apanha muito. Muito mesmo.

Dr. Hugo Strange peladão, maromba e tarado pelo Batman – Nem tudo ao mesmo tempo, é claro. Em dado momento, temos o Dr. se preparando pra um evento importante. O alter é pesado e para quem gosta de academia, ele anda tomando alguma coisa. E por algum motivo (Ele é um psiquiatra, mas bem louco), ele está nu (de costas, louvado seja Deus) e fazendo exercícios num porão. Esse ponto é interessante por que alude ao Homem-Calendário e ao início do arco Noite dos Homens-Monstro. Importante lembrar também do encontro entre o Hugo Strange e o Batman. Esse encontro foi muito bem redigido. A imagem de Hugo sentado em um trono de livros de psicologia vestido de Batman é simplesmente uma obra de arte. E eu compraria para fazer um pôster. É lindo. Só lendo.

Armadura Cara de Barro – Talvez esse seja o SPOILER mais forte. O Cara de Barro se tornando um mocinho. Poxa vida, ele tem exatamente 77 anos. Ele sempre foi do mal. Mas é bom ver alguém se regenerando. Em dado momento ele usa sua maleabilidade pra envolver o Batman numa casca forte e protetiva que dura… um soco. Bom, valeu a intenção.

Batman e sua “Armadura”

Morte do Tim Drake (Robin Vermelho) – Todos acham que o Robin morre. Inclusive eu. Mas ninguém nunca morre no mundo Comics.

Novos Vigilantes de Gotham – Eu fiquei loucamente apaixonado pela Claire. Ela e seu irmão (Gotham Girl e Gotham respectivamente, meio óbvio, não é mesmo?) aprontam altas confusões na sua telinha. O Gotham fica meio louco e destrói tudo. A Claire até tenta. Mas é contida pela psicologia de Bruce que se revela ser o Batman (Como não pensamos nisso antes? Só o Bruce poderia ser o Batman).

Leia mais sobre os vigilantes Gotham e Gotham Girl aqui!

As aparições do arco e do que o precede também são bem especiais. Salomon Grundy, Amanda Waller, Jim Gordon (Figurinha carimbada das histórias do Batman), Liga da Justiça, Jacob Kane (Tio de Bruce) e outros personagens que movimentam o clímax do arco no furacão e no aparecimento dos homens-monstro. Isso enriquece a história com a mitologia do Batman.

Uns gostaram, outros não. Mas fica aqui o incentivo pra você ler esse arco já finalizado. Vale a pena tirar suas próprias conclusões.

 

 

 

Estivador, Escritor, Gênero: Terror, Futuro Cavalheiro de Windsor, Morador de Mordor, Batfã, Notívago. Escrevo para o UDC52 e para a humanidade por hobby. Fora os poemas pra alguém especial. “Não leve a vida tão a sério. Você não vai sair vivo dela.”

Will Rodrigues

Estivador, Escritor, Gênero: Terror, Futuro Cavalheiro de Windsor, Morador de Mordor, Batfã, Notívago. Escrevo para o UDC52 e para a humanidade por hobby. Fora os poemas pra alguém especial. "Não leve a vida tão a sério. Você não vai sair vivo dela."

Error: Access Token is not valid or has expired. Feed will not update.
This error message is only visible to WordPress admins

There's an issue with the Instagram Access Token that you are using. Please obtain a new Access Token on the plugin's Settings page.
If you continue to have an issue with your Access Token then please see this FAQ for more information.