Aquaman | Conheça 11 histórias do herói para ler antes do filme ser lançado

Arthur Curry, o Aquaman, é um dos personagens mais poderosos das histórias em quadrinhos, membro-fundador da Liga da Justiça da América, rei da nação mais poderosa e avançada tecnologicamente do planeta Terra.

Criado por Mort Weisingier e Paul Norris, Aquaman nasceu em setembro de 1941, na More Fun Comics #73 e, apesar de seus quase 77 anos de existência e do seu nome ser conhecido do grande público, não é fácil encontrar leitores do Rei dos Mares. Com a estreia do primeiro filme solo do herói em 21 dezembro e com a possível chegada de uma nova “Aquamania”, o Terraverso separou algumas leituras para que você possa conhecer mais sobre o personagem e se preparar para sua sessão de cinema. De histórias curtas e grandes sagas até fases inteiras, nossa lista tem hqs para todos os tipos de leitores e para todos os gostos.

 

Confira agora nossa lista e toda a majestade do rei legítimo de Atlântida!

Aquaman: A Busca por Mera

Uma saga clássica de Aquaman Vol. 1 e a primeira grande saga solo do personagem, escrita por Steve Skeates e ilustrada por Jim Aparo, The Search for Mera, traz o mistério do desaparecimento da heroína e a busca de Aquaman por repostas. Porém, ao deixar Atlântida abandonada, uma figura corrupta da realeza aproveita para arquitetar um golpe de Estado. Com a participação de personagens como Vulko, Aqualad, Aquagirl e Aquababy, capas fantásticas de Nick Cardy e com uma história de tom aventuresco e político, The Search for Mera traz um pouco do visual e da energia que certamente queremos ver nos cinemas. The Search For Mera pode ser encontrada nas edições #40 a #47 do primeiro volume do personagem.

Aquaman – Coward-King of the Seas!

Na edição #29 da longínqua Aquaman Vol. 1, Orm Marius, o temível Mestre dos Mares aparece pela primeira vez. Em uma história de 23 páginas, Aquaman e Aqualad precisam impedir que o vilão cause um desastre.

Between Two Dooms!

6 edições depois, em Aquaman Vol. 1 #35, o Mestre dos Mares retorna para enfrentar Aquaman, porém, precisará lutar antes com o… Arraia Negra! Em sua primeira aparição, o arqui-inimigo do Rei de Atlântida e Orm lutam para decidir quem tem o direito de eliminar o Aquaman – enquanto o herói tenta se salvar e proteger o Aquababy. Uma história divertida e com as cores e energia que só a Era de Prata pode proporcionar.

Aquaman Vol. 5 – Edições #0 a #46

Ok, sabemos que essa é uma lista de histórias… Por que então incluir praticamente uma fase inteira do personagem? Simples: são as edições escritas por Peter David, um dos roteiristas mais importantes e visionários do Aquaman. É aqui que Aquaman substitui sua mão perdida pelo famoso gancho. O personagem também ganha novas camadas e conhecemos um herói desiludido, niilista, arrogante, imperfeito. E tudo isso ostentando uma bela e respeitosa barba. Soa familiar? Além de influenciar diretamente a versão vivida por Jason Momoa, esta versão também voltou diversas vezes em HQs futuras e em animações da DC – como nas nossas queridas Liga da Justiça e Liga da Justiça Sem Limites.

Trivia – a capa da edição 47 de Aquaman Vol. 5 vem creditada a Peter David, porém o escritor já não fazia parte do time de criação. A partir deste número o script é de Dan Abnett.

Aquaman: Tempo e Maré

Um dos grandes destaques das histórias do personagem é o reino de Atlântida, e claro que no filme não será diferente. Em O Tempo e a Maré, escrito por (adivinhem só) Peter David, acompanhamos a história de Atlântida desde antes do nascimento de Arthur até sua ascensão ao trono. A última história traz uma história focada no Mestre do Oceano, principal vilão do filme e que será interpretado por Patrick Wilson. A série em 4 edições, de 1993, foi uma importante base para as histórias que viriam a seguir em Aquaman Vol. 5 e em diante. A história também antecede outra grande série de David, a majestosa…

Crônicas de Atlântida

Já que estamos falando de Atlântida e de Peter David, não podemos deixar de citar Atlantis Chronicles. Em 7 edições e com desenhos de Esteban Maroto, conhecemos a nação de Atlântida desde os tempos antediluvianos, desde seus primórdios. Com elementos medievais e de teor bem maduro, tratando de temas como religião, sexo, política, guerra e poder, a história pode não influenciar diretamente o longa, mas é uma história imperdível para aqueles que querem mergulhar – literalmente – em Atlântida.

Aquaman Os Novos 52 – #0 a #25

Depois de anos de histórias tímidas e sem muita relevância nos anos 2000, e de algumas décadas de piadas com peixe, Geoff Johns e alguns excelentes desenhistas como Ivan Reis, tiveram a missão de trazer de volta o Rei de Atlântida em toda sua majestade. Retomando elementos clássicos do personagem, usando do humor e da própria fama de herói inútil construída ao longo dos anos, a primeira metade do personagem no Os Novos 52 foi um sucesso de público e crítica. Com arcos como O Reino de Atlântida e Os Outros, Os Novos 52 é uma excelente opção para aqueles que querem ler mais sobre o personagem e que desejam iniciar a leitura de uma fase do Aquaman.

Aquaman Vol. 8 – Renascimento e DC Universe

Com roteiro de Dan Abnett e com a contribuição de diversos ilustradores e capistas, Aquaman é um título que mantém o bom padrão de qualidade das atuais fases da DC Comics, com histórias dinâmicas e com o desenvolvimento de grandes rivalidades (em especial com o Rei Rath). Os artistas de Rebirth/DC Universe aproveitam bastante do visual do DCEU e de seus atores, o que pode deixar a leitura mais fácil para aqueles que estão começando agora sua vida de dcnauta e desejam fazer a migração das telas para os quadrinhos.

Aquaman – Morte de um Príncipe

Uma das histórias mais marcantes e dramáticas para o personagem, Death of a Prince é uma saga que se passa paralelamente nas edições #435 a #455 de Adventure Comics e #57 a #63 de Aquaman. A dupla David Micheline e Jim Amparo colocam o Rei de Atlântida frente a pior de suas falhas: a morte de seu filho pelas mãos do Arraia Negra. Além do luto, o herói precisa lidar com a reação dos atlantes e de Mera, profundamente abalados com os acontecimentos. Além de alavancar as vendas e trazer uma abordagem humana á Arthur, a história também aprofundou a relação de Aquaman e Arraia Negra, trazendo-a para o campo mais pessoal possível.

Mera: Queen of Atlantis

Finalmente, depois de anos de injustiça, a rainha de Atlântida finalmente ganhou sua primeira revista solo. Na série em 6 edições Mera: Queen of Atlantis conhecemos um pouco mais do lado guerreiro, estrategista e diplomata da heroína. Com roteiro de Dan Abnett, desenhos incríveis de Lan Medina e capas maravilhosas de artistas como Stanley “Artgerm” Lau e Nicolla Scott, a série começou a ser publicada em abril de 2018 e ainda está em andamento. Apesar de só ter sua própria revista agora, Mera sempre recebeu atenção do público e sempre esteve presente nas histórias do Aquaman. Sua popularidade aumentou ainda mais depois de sua trajetória nas histórias da DC Bombshells – aliás, outra leitura recomendadíssima!

Flashpoint

Primordialmente, não é uma história do Aquaman, ok… Mas com a confirmação de que teremos Flashpoint no DCEU essa história se torna indispensável. Na realidade de Flashpoint Aquaman é o líder de uma das grandes frentes de batalha e personagem fundamental para a trama – e com certeza isso não passará em branco no longa. Só nos resta conferir o filme de James Wan e aguardar o futuro do personagem no DCEU!

Qual sua história favorita do Aquaman? Na sua opinião, que história é fundamental para o personagem? Deixe aqui nos comentários! Lembrando que o filme do herói estreia dia 21 de dezembro nas grandes telas.

Sou daqueles que saía correndo na saída da escola pra almoçar assistindo Liga da Justiça. Daqueles que juntava o troco do pão pra comprar gibi no sebo. Feliz de viver na melhor época pra ser nerd. Sem editorismo, amai-vos uns aos outros! A alvorada dos heróis ainda vai durar por muitos anos! Que Snydeus seja louvado e que Stan Lee viva pra sempre!

Rodolfo Chagas

Sou daqueles que saía correndo na saída da escola pra almoçar assistindo Liga da Justiça. Daqueles que juntava o troco do pão pra comprar gibi no sebo. Feliz de viver na melhor época pra ser nerd. Sem editorismo, amai-vos uns aos outros! A alvorada dos heróis ainda vai durar por muitos anos! Que Snydeus seja louvado e que Stan Lee viva pra sempre!